segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Oeste Americano, parte 1 - San Francisco

Bom, para essa viagem, escolhi San Francisco como o ponto inicial da minha Road Trip pelo Oeste Americano e acredito que foi uma ótima escolha. 

Nessa minha viagem resolvi incluir os seguintes Estados Americanos: Califórnia, Nevada e Arizona, passei por dezenas de cidades, pernoitando em de San Francisco, Pismo Beach, Camarillo, Los Angeles e Las Vegas (ao todo fiquei em 6 hotéis). Também fiz a loucura de fazer um bate-e-volta de Las Vegas ao Grand Canyon (South Rim). Ao todo rodamos mais de 3 mil quilómetros (1800 milhas) em 16 dias.


Chegamos ao Aeroporto Internacional de San Francisco (SFO) as 10:25, pontualíssimo. Não passei pelo controle de imigração aqui, pois o mesmo foi feito em Nova York (o vo não foi direto). Como era cedo, o aeroporto estava bem vazio e não esperamos muito para pegar as malas.
Um detalhe que me chamou a atenção foi o fato do aeroporto possuir poltronas Egg e Swan nas salas de espera (falam que é para dar um pouco mais de glamour ao ato de esperar no aeroporto). 
Já com as malas, subimos para pegar o trem/metro do aeroporto SFO para irmos pegar o carro (facilita bastante não ter que esperar ônibus). O trem vai e volta, para em poucos lugares e você desce na última parada para as locadoras de carro (está escrito acima das portas). A vantagem é que é gratuito e rápido. Abaixo vocês podem ver as portas da plataforma do metro e a vista do metro chegando no prédio das locadoras de carro:


A vista de dentro do metro do Aeroporto de San Francisco:


Aluguei o carro na Alamo, mas fiz a reserva pela Happy Tours (veja detalhes no meu outro post Dirigindo carro nos EUA). As locadoras estavam vazias, então fiz um upgrade de categoria, fui da midsize standard para a Midsize SUV. O legal é que você escolhe a categoria depois vai para a garagem e pega o carro que você quiser (da categoria que escolheu), pois as chaves ficam na ignição, mas a Alamo de San Francisco estava com pouca variedade.


Sai de lá cedo para fazer o check-in, estão não agüentei a curiosidade e quis ir direto ver o cartão postal de San Francisco: a Golden Gate. Do SFO até a Gonden Gate leva cerca de meia hora, e ao passar pelo Golden Gate Park tinha um pouco de trânsito (era segunda-feira), mas nada comparado ao de São Paulo.
Ao chegar na ponte, confesso que fiquei até um pouco emocionada, pois já tinha visto aquela ponte vermelha em tantos filmes. Paramos num mirante ainda no lado de San Francisco e depois paramos em outro já no lado de Sausalito, o local estava cheio, mas deu para tirar muitas fotos. Caminhei até o meio da Golden Gate, mas não quis cruzá-la a pé. Existem empresas que alugam bicicleta e oferecem tours guiados pela região.


Mirante que fica do lado da Golden Gate (já em Sausalito):


Do outro lado da ponte fica a cidade de Sausalito, cidadezinha pequena, mas muito agradável para fazer um almoço ou um café. Sausalito é uma cidade de 8 mil habitantes que oferece diversas opções de passeios como a visita ao Bay Area Discovery Museum e o tour Wooden Boat (eleito como o melhor passeio pelo Trip Advisor). Para quem visita San Francisco pela primeira vez acho que um passeio de 2 horas já é o suficiente, pois existe muita coisa para fazer em San Francisco.


Saímos de lá e passamos rapidamente pelo bairro Castro, o bairro mais gay de San Francisco.


Me marido pegou uma gripe ainda no avião então resolvemos descansar o resto do dia. O hotel Mission Inn não é tão perto das atrações principais da cidade, fica em Daly City, na Mission St, mas existem vários comércios como Walgreens e Mc Donald's. Optei por este hotel por oferecer estacionamento, free wi-fi e café da manhã. Devo avisar que o café-da-manhã do Mission Inn não é lá essas coisa e dia ou outro tive que variar e ir à algum restaurante, mas a recepcionista Filipina foi muito simpática.


No segundo dia, deixamos o carro na Columbus Ave, próximo à uma locadora de bicicleta e resolvemos caminhar até a parte mais baixa da Lombard St, estava frio e cheguei lá cansada. Tenho que melhorar meu preparo físico. A Lombard St é um dos endereços mais caros da cidade, é uma rua mão única, muito bem cuidada, cheia de casas construídas no estilo clássico da cidade (casas estreitas com grande profundidade). Para pedestres existem escadas.





A Lombard St é aquela rua super sinuosa (conhecida como a mais sinuosa do mundo), com 7 curvas fechadas, é bem legal passar de carro por lá. De lá  é possível avistar o Mirante Coit Tower e o famoso presídio de Alcatraz.
Além do mirante Coit Tower, existe o mirante Twin Peaks (localizado mais ou menos no meio da cidade). Em ambos da para subir de carro.


Falando no Presídio de Alcatraz, ele está localizado na Ilha de Alcatraz, e por muito tempo foi um presídio de segurança máxima, mas hoje funciona como ponto turístico com passeios de barco realizado diariamente, várias vezes por dia. Dizia que era impossível escapar de lá com vida, devido às fortes correntes marítimas. Em época de férias é imprescindível comprar os tickets com pelo menos menos uma semana de antecedência. É possível comprar pela internet ou diretamente no Cais.
Abaixo, a vista que se tem de dentro da Prisão.
Sai de lá, peguei o carro e fui dar mais uma volta na cidade. Descemos as ladeira igual fazia em um jogo do video-game Playstation One chamado Driver San Francisco, um dos melhores jogos da minha geração. Me senti nas perseguições do jogo.
Fui ao Fisherman's Wharf (Cais do Pescador), caminhei um pouco, passei em algumas lojinhas de Souvenirs. É lá que estão alguns Museus como o Wax Museum (museu de cera) e o Ripley's Believe it or not. Não cheguei a entrar, pois já conheço os de outras cidades e minha estadia em San Francisco não seria longa.


Deixamos o Fisherman's Wharf e fomos ao Pier 39. La tem um Hard Rock Cafe e vários outro restaurantes famosos. Comemos no The Crab House, queria pedir um King Crab, mas como ele não tinham no memento acabei comendo o Dungeness Crab e tomando um sopa chamada New England Clam Chowder como entrada. A sopa estava maravilhosa, bem cremosa e acompanha uma bolachinhas de ostras, foi uma escolha perfeita para aquele frio de 15º C.
Abaixo a vista do segundo andar do Píer 39, dá para ver o Carrossel e a prisão de Alcatraz:

No primeiro andar é possível ver uma das maiores colônias de Leões marinhos da Califórnia, são cerca de 1500 animais, que escolheram o lugar como casa após 1989 (ficaram um período entre 2009 e 2010 longe do Píer, mas felizmente retornaram.
Em San Francisco existem vários Piers, mas o 39 é o mais famoso e mais completo, é de lá que saem os passeios para Alcatraz. O ideal é deixar o carro num local mais afastado e seguir para o Pier de Cable Car (paga-se apenas US$ 5,00).

Resolvi conhecer um shopping na região central de San Francisco (Westfield San Francisco Centre na Market Street) e após rodar bastante achei uma vaga na rua. Achei os estacionamentos muito caros em San Francisco, tive impressão que eles não querem que a população use carro (foi a reclamação de alguns moradores).
Outro cartão-postal da cidade é o Transamerica Pyramid, o prédio mais alto de San Francisco.


No terceiro dia passei de carro pela Bay Bridge, aquela ponte branca com dois decks, muito bonita, que liga San Francisco à Oakland, passando pela Treasure Island (Ilha do Tesouro). O interessante é que um andar é para ida e o outro é para volta. Na volta paga-se pedágio.






Foto da Bay Bridge, feita próximo ao Píer 2 ou 5:


Outro ponto turístico muito famoso são as Painted Ladies (termo usado para construções feitas em estilo Vitoriano e Eduardiano, pintadas em três ou mais cores), localizadas na Alamo Square em Lower Haigh, bairro nobre de San francisco. Elas foram algumas das construções que resistiram ao Grande Terremoto de San Francisco que ocorreu em 18 de Abril de 1906.
Essas casas já apareceram em mais de 70 filmes e depois da Golden Gate é o local mais visitado de San Francisco.
Outras casas de San Francisco:

Nos outros dias em que ficamos na cidade resolvemos explorar a região mais ao sul de San Francisco, fomos à alguns shoppings a procura no novo Notebook da Sony (acabamos comprando na Best Buy).

Seguimos para San Bruno, almoçamos na churrascaria brasileira chamada Espetus (existe uma no centro de San Francisco) por US$ 25,00 o rodízio por pessoa e depois seguimos ao Sul. Estava com saudade de comer arroz e picanha. 

Fomos até a região da famosa Universidade de Stanford (freqüentada por Americanos conceituados como Steve Jobs e Condolezza Rice), no Vale do Silício e passei no shopping Serramonte (um pequeno shopping com várias Lojas de Marca).


Voltei ao hotel para que eu e meu maridão para que pudessemos descansar um pouco mais, afinal ele estava com um pouco de febre e eu seria a motorista no trecho de San Francisco a Pismo Beach, próximo à San Luis Obispo, 5 horas de viagem. Mal podia esperar pelo dia seguinte. 

Meu ipod cheio de músicas para pegar a estrada estava pronto para funcionar. rsrsr


Dicas de San Francisco:

Passeios e o que fazer em San Francisco? (passeios imperdíveis em San Francisco)
- Alugar um carro para conhecer bem a cidade. 
- Cruzar a Golden Gate, seja a pé, de carro ou de bicicleta.
- Tomar um chá no jardim japonês, dentro do Golden Gate Park.
- Conhecer o Fisherman's Wharf 
- Comer frutos-do-mar no Píer 39.
- Visitar a Penitenciária de Alcatraz.
- Andar de Cable car.
- Descer a Lombard Street de Carro.
- Ver as Painted Ladies.
- Subir ao Mirante Coit Tower ou até o Twin Peaks (para ver San Francisco do Alto).
- Ir ao Palácio de finas artes.

O que vestir em San Francisco?
Nesse quesito não existe restrições, pois a mistura de culturas é muito grande, fazendo com que eles sejam bem liberais.
Passeios Imperdíveis em San Francisco: Cruzar a Golden Gate e entrar numa cela em Alcaraz.
Deixe para a próxima: Se não for possível fazer tudo (nunca é), não perca tanto tempo indo à shoppings, a não ser que você precise comprar algo importante. Suba em apenas um dos mirantes ou vá até o alto da Lombard Street (lá é praticamente um mirante).

Para amantes de carro: O transito de San Francisco é tranquilo, e apesar das ladeiras não é difícil andar por lá, pois todos os carros das locadoras são automáticos.

Ainda não foi dessa vez: Que tomei chá no Jardim Japonês.

No próximo Post falarei sobre a segunda parte da minha viagem, o trecho pela Pacific Coast Highway 1 em direção à Los Angeles, com uma Pernoite num maravilhoso hotel em Pismo Beach.

Até breve!

No próximo post falarei sobre a Pacific Coast Highway 1, do trecho entre San Francisco e Los Angeles. Clique no link para ler e ver as lindas fotos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário