sábado, 25 de junho de 2011

Dirigindo Carros esportivos. É possível dirigir uma Ferrari, um Porsche......

Nesse post darei dicas sobre carros esportivos e algumas locadoras que já usei em cada destino que fui.

Quando viajo com meu marido gostamos de  unir nossas paixões: viagem, tecnologia e carros.

Sendo assim, sempre que viajamos trazemos alguns gadgets, Ipod, Ipads e video-games (essas dicas ficam para outro post), visitamos lugares diferentes e alugamos algum carro que não compraríamos no Brasil.

Quem mora no Brasil sabe que comprar carro é um pouco difícil, já que temos umas das cargas tributárias mais altas do mundo. Aqui quem tem um Honda Civic já deve se dar por muito satisfeito, pois aqui é muito difícil comprar qualquer carro, mais de 35% do valor do carro é referente aos impostos (um absurdo).
Já Civic nos EUA é carro popular, custando uns R$ 30.000,00, já nós pagamos nele o preço de um carro esportivo e com os R$ 70.000,00 daria para comprar uma Mercedes SLK zero quilômetros, carro que aqui tem o preço de mais R$ 200.000,00. Isso me faz querer chorar. Snif.

Então, nada melhor do que aproveitar para dirigir um carrão em um lugar seguro, com estadas boas e ainda pagando pouco.Mesmo que você possa comprar um bom carro, que tal fazer um teste drive? Em outro post falarei sobre aluguel de carros no Brasil...
(clique nas fotos para vê-las ampliadas)
Lá fora é comum ver carros esportivos, pois não custam tão caro, Porsche tem aos montes, só Ferrari e Lamborghini que é mais raro de ver (a não ser que você vá à Mônaco). Para ter um idéia, uma Ferrari 2001 comprada lá nos EUA sai por 60 mil dólares, mas se você comprar o mesmo carro aqui pagará 600 mil reais. O melhor a fazer é aproveitar por lá, pelo menos para olhar.

Mais um detalhe, não adianta querer trazer essa Ferrari que eu mencionei, pois como disse ela é 2001 (usada). De acordo com a lei brasileira, só é possível importar dos Estados Unidos carro zero quilômetros ou carro com mais de 30 anos de uso e, mesmo assim,  a taxa de importação é de 110 % mais o frete. Só acho que vale a pena se você tiver muita vontade de ter algum carro que não é vendido por aqui, mais em termos de economia não é vantajoso (o governo é esperto). Além disso, é extremamente burocrático, assim com tudo aqui no Brasil. Se quiserem saber mais leiam a respeito no site da Revista Motor Show.
Abaixo foto do anuncio da com o preço da Ferrari no EUA e de outro carros (é para ficar triste, pois lá o salário é bem melhor do que aqui).



Gosto de alugar carros nos lugares que viajo, pois me dão uma certa liberdade, principalmente em lugares dos Estados Unidos, mas não é todo lugar que recomendo alugar carro. Na Índia, no Cairo (Egito), em Roma (Itália), em Nova York (EUA) e Londres (Inglaterra) acho melhor usar o transporte público ou contratar um guia, como é o caso da India e Cairo.

Dubai
Aqui nossa CNH não é válida, então é necessário ter a Carteira Internacional de Habilitação, a PID (Permissão Internacional para Dirigir), para isso basta ir ao Detran ou órgão competente de sua cidade levando sua carteira nacional válida e pagar uma taxa.
Em Dubai é comum ver carrões, então aproveite e alugue, quem sabe, um Porsche Carrera S. Um site legal é Unique Cars, que é uma empresa com sede na Grécia, que atua em Dubai e França. Eles possuem um tratamento VIP, levam o carro até o hotel e buscam na hora que você preferir, mas a grande desvantagem é o valor da franquia, caso ocorra algum acidente.
Uma vantagem de dirigir em Dubai é que a gasolina é muito barata (30 litros por uns 16 reais), o trânsito é organizado e o asfalto é muito bom. Os motoristas são apressados e buzinam muito quando alguém demora para sair no farol, mas fora isso não há problemas.




México
Cancún
Nossa habilitação é válida.
Aqui também dá para alugar carros conversíveis, mas não é tão comum. Aqui tinha muito Mini Cooper para alugar. Eu, particularmente, simpatizo com esses carrinhos britânicos, mas se não for seu caso, existem outros.

EUA
Nos Estados Unidos nossa habilitação é válida, desde que você fique no máximo por 30 dias, além disso é necessário contratar um seguro que cubra acidentes pessoais, dano ao veículo e seguro à terceiros, pois caso aconteça algo, você não precisará ter dor de cabeça durante suas férias. Quando você paga o aluguel do carro com seu cartão de crédito, normalmente, você tem direito ao seguro de acidentes pessoais, mas verifique antes de sair do Brasil. Para saber mais  sobre aluguel de carro no EUA visite meu outro post, Dirigindo nos EUA.

New York
Com exceção de New York City, é um país feio para andar de carro. Se você vai de NY para Washington, dá para alugar um carrão como uma Ferrari F430 Spider ou um Lamborghini Gallardo Spider e ir dirigindo. Um site conhecido para alugar carros esportivos é o Gotham Dream Cars, eles possui loja em New Jersey e Miami. Seus carros são um pouco rodados, alguns com cinco anos de uso, mas Ferrari é Ferrari, ainda mais quando é a primeira vez que você vai dirigir uma. Os valor estão em torno de 1000,00 dólares, sei que é salgado, mas para quem nunca terá coragem ou oportunidade de comprar uma Ferrari no Brasil é  jeito.


Miami, FL
Esse é um lugar excelente para alugar um carro, tem as ilhas de Florida Keys com várias praias para conhecer, além de Miami Beach e Fort Lauderdale (que é pertinho e tem os lindos canais), a Veneza do Leste Americano (foto abaixo).
Em Miami também existem várias locadoras de carros esportivos, entre elas tem a Gotham Dream Cars, com seus carros esportivos (Ferrari, Mercedes e Lamborghinis), que fica em Dania Beach, ao Norte de Miami.

A última vez que fui para Miami eles estavam implementando o metro-mover do aeroporto até o Prédio onde estão todas as grandes locadoras de carros (Hertz, alamo, avis, interprize, entre outras) o que tornará muito mais prático, já que é mais fácil colocar as malas no metro. Antes de construírem esse prédio, você tinha que esperar o ônibus de cada locadora no aeroporto.


Além desses über cars, existem os esportivos mais tradicionais nas locadoras conhecidas como a Hertz, Alamo e Budget. Nelas, dependendo da disponibilidade existem Camaro SS, Mustang GT, Corvette conversível, Dodge Charger e Challenger. Esses não são tão baratos (aproximadamente 150,00 dólares por dia), mas fazendo uma pequena economia dá para sonhar. O ideal é tentar fazer um upgrade na hora, pois existem dias que eles precisam alugar determinados carros. Um Mustang ficou por 350 dólares e um Corvette ficaria por 15 dólares a mais por dia. Depois descobri que alguns seguros não estavam inclusos, mas sabe como é marinheira de primeira viagem... 


Eu aluguei o carro por meio da agência Soft Tavel (eles tem pacotes com ótimos preços), mas na Flórida também tem a Happy Tours USA, vou falar desse site abaixo. Aluguei o Mustang pela Hertz e tive um pequeno problema na retirada, pois meu cartão não passava (mesmo tendo acabado de usar no aeroporto). Com a demora, já estava estressada, mas o stress passou quando vi o carro, totalmente demais.  Achei que pegaria um 2010, mas peguei um modelo novo, 2011 com apenas 200 milhas rodadas (carro zerado, com cheirinho de carro novo).

O carro estava no estacionamento coberto e quando girei a chave se acendeu todo, até a soleira com o nome Mustang fica iluminada. O carro anda muito, é um V6 de mais de 230 cavalos, tem um ronco muito bonito, mas ainda prefiro um Golf GTI com torque de 25 Kgf (gosto não se discute).
Foto do site www.carangoweb.com.br, o meu não era tao tunado assim.

Além do Mustang, um carro que adorei foi o Ford Escape, não é esportivo, é um utilitário bem confortável e completo para os padrões brasileiros.


Outro site que me falaram muito bem é o I Book a car, ainda não aluguei por ele, mas pelo que vi tem todos os seguros inclusos e é bem em conta.

Califórnia
Esse é outro lugar em que estar de carro é necessário, então nada melhor do que fazer um roteiro começando em San Francisco, passando pela Highway 1 e terminando em Los Angeles. Pegando o carro no aeroporto de San Francisco você utiliza o metro que para no prédio das locadoras de carro.
A Califórnia tem estrada boas e largas para aproveitar bem, mesmo na região mais estreita e cheia de curvas do Big Sur é muito comum ver carros enormes.


Aqui, o aluguel de um Camaro, depois de muito pechinchar, ficou por 510,00 dólares por uma semana (na Flórida é mais barato,pois lá eles tem o Camaro SS), com todos os seguros inclusos. Aluguei pelo site da Happy Tours USA, na Califórnia eles trabalham com as locadoras hertz e alamo, mas no site não estão todos os carros, então tente fazer um upgrade ao chegar no balcão. A vantagem de alugar nesse site é que eles oferecem Km livre, motorista adicional e não cobram taxa para devolver em outro estado nem taxa de cancelamento, além disso todos os seguros importantes estão inclusos, com exceção do seguro de acidentes pessoais, mas a maioria dos cartões de crédito cobrem esse seguro se você pagar sua passagem no cartão. O cartão também cobre alguns seguros para o carro alugado, mas sempre confirme antes de viajar para evitar problemas.

Falando do Camaro, ele é muito lindo, assim como o mustang, é bem iluminado por dentro e tem um capo gigante, para mim que tenho carro com frente curta tive que tomar cuidado. O ronco do motor, na minha opinião, não é tão bonito quanto o do Mustang. Sua dirigibilidade é boa, mas você fica sentado muito lá embaixo, o passageiro então... se for baixo sofre muito, pois não dá nem para ver a rua. Mesmo se você for alto também ficará desconfortável.

Quando fui devolver, comentei com o gerente da álamo que o carro era lindo, mas muito desconfortável para pegar uma estrada. Ele concordou e falou que só dirige Charger, mas me recomendou o Ford Edge, esse eu amei. É um excelente carro para pegar estrada, além de ser muito equipado, ele é alto e a posição para dirigir é muito boa. O sistema de som é bom, sincroniza com Iphone via Bluetooth, tem rádio via Satélite (sirius), tem câmera de ré e você pode mudar a cor das luzes internas. É um carro muito legal!!

Mesmo que você não queira alugar ou não seja tão fanático por carro, vale a pena dar uma passada na Rodeo Drive (Los Angeles), pois lá, além de conferir os carros dá para conferir as vitrines. Tinha até um Bugatti Veyron amarelo e preto (gosto é gosto).

Bugatti Veyron:


Brasil
Alugando Ferrari em São Paulo:
Se você é um sortudo e possui um dos carros que mencionei acima, meus parabéns. Agora se você, assim como eu e muitos outros, só vê esses super carros na Avenida Europa ou no Salão do Automóvel a cada dois anos, e acha que dirigir um carro como esses só é possível em seus melhores sonhos, aqui estou eu para provar que é possível sim dirigir um carro desses.

Isso é possível até mesmo no Brasil, pois hoje existem empresas que alugam carro luxuosos e esportivos, mas aqui, normalmente, o aluguel é feito por horas e não por dias. São raras as empresas que oferecem estes serviços, pois a maioria oferece Civic como carro esportivo (acho ele lindo, mas só o SI pode ser considerado esportivo).

Se você é mulher e quer surpreender seu marido no próximo aniversário dele, que tal alugar um carro diferente? Existem carro para todos os gostos e todos os bolsos.
Na Hertz dá para alugar um Mini Cooper ou um Chevrolet Malibu.

O que vocês achariam de alugar um VW New Beatle ou um Fiat 500?
Nem todos são carros luxuosos, mas são carros que não compraríamos no Brasil. Pelo menos eu não compraria, pois os acho muito chamativos.

Quanto ao aluguel de carros luxuosos por aqui, falarei num próximo post…

Até breve!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Cancún, tudo de bom!

Fiz essa viagem em Março de 2010, época razoavelmente quente, ventava um pouco, mas foi maravilhoso…
A melhor parte da viagem, nadar com os golfinhos, atividade encontrada em vários lugares...



Bom, fiquei hospedada no Hotel Oasis Palm Beach, na Boulevard Kulkukan, km 4,5 na Zona Hoteleira. O hotel não é tão próximo das baladas e dos shoppings (km 10 da Kulkukan), ele fica ao lado do embarcadero, mas como tem praia particular, piscina e várias atividades achei ele muito bom.

Hotel Oasis Palm Beach:

Era um período próximo ao spring break. A princípio tinha um pouco de receio, pois falam que tem muita bagunça nessa época, mas não vi problemas durante minha estadia. A vantagem de ficar nessa rua é que vários pontos turísticos estão lá, sendo bem fácil de se locomover de ônibus ou táxi. Também é fácil andar de carro, existem várias locadoras de carro na região ou até mesmo no aeroporto. Na próxima acho que irei alugar um carro.

O Hotel é grande, tem sistema all inclusive, com 6 restaurantes e 4 bares (se não me engano), além de uma churrascaria paga a parte. Os bares servem bebidas e café durante todo o dia. O bar da piscina serve batata chips, hot dog e sanduíches. São duas piscinas de uma tamanho bem legal.


Além de fitness center e spa (extra fee) existem vários esportes aquáticos no próprio hotel, pois ele uma praia particular no fundo. Na época em que nos hospedamos era possível até andar de jet ski no próprio hotel, hoje não sei se continua igual:

A praia é limpa, mas possui algas (elas que fazem as águas de Cancún serem tão cristalinas) que são retiradas toda manhã.

Como já disseram em outros fóruns, o mar é lindo, mas não tem uma grande faixa de areia.

Vista da janela do quarto:

Praia do hotel (com algumas algas, mas seria limpa logo após):

Esse hotel está ao lado do Embarcadero (de onde saem o Jungle tour e os barcos para Isla Mujeres), os quartos são espaçosos, estavam limpos e tem vista para a lagoa Nichupte ou para o mar. E por falar em mar, que mar maravilhoso, quantas cores de azul... é simplesmente lindo...

Tons de azul:

Água transparente, da para ver minha unha francesinha:

No primeiro dia ficamos curtindo o hotel, pois é bem grande, almoçamos, nadamos e jantamos, primeiro sushi e depois frutos do mar. Estávamos famintos. rsrsr

Sushi:

Isla Mujeres
No segundo dia, as 9:30 am, apesar de ventar um pouco fomos ao Embarcadero (Puerto Juárez) e de lá seguimos de barco para Isla Mujeres, são 30 minutos. Na ilha é possível alugar carrinhos de golf (para quem não tem pressa), moto (para quem sabe andar) ou andar de taxi, lembrando sempre de combinar a corrida antes, pois eles não usam taximetro.

Após andar pela ilha, próximo ao desembarque, preferi optar pelo taxi para chegar ao Dolphin Discovery. Assim que entramos, paguei o valor do "parque" e comprei o nado com os golfinhos chamado dolphin encounter, paguei mais ou menos 69,00 dólares mais a entrada.

Dolphin Discovery:

Momento muito fofo, pena que você não pode tirar fotos (tem que comprar as 4 que eles tiram):

Eu simplesmente amei nadar com os golfinhos, meu marido não quis e ficou de longe tirando algumas fotos, não é permitido fotografar de perto porque eles tem fotógrafos e cobram pelas fotos, em torno de 10 dólares por foto, mas dá para negociar. O parque não é lá essas coisas, é bem pequeno, gostei do passeio, mas na próxima nadarei com golfinhos em Xei-ha, ou melhor, farei o sea trek por lá.

As 16:00 hs já estava de volta ao Hotel, tomamos um banho e fomos para o "point" de Cancún, passamos no Plaza Caracol e depois paramos no Coco Bongo. Comemos no Hooters, passamos na The City e voltamos para o Hotel. No hotel não tem wi-fi, ou seja, não deu para usar skype, acabei comprando um cartão pré-pago.

Tiramos o terceiro dia para compras, pois Cancún tem preços ótimos, os tênis estavam com preços iguais aos de Miami. Primeiramente fomos ao centro de Cancún, em frente ao pegamos um ônibus em direção ao Walmart que fica no centro de Cancún, demora uns 25 minutos. Lá, compramos umas comidinhas e andei um pouco ao redor, devo confessar que o centro é bem mais feio que a Zona Hoteleira, mas é onde você sente que realmente esta no México e pode conhecer um pouco da cultura (se estiver com tempo).

Fomos ao shopping La Isla, um shopping bem legal, com várias lanchonetes conhecidas (Planet Hollywood, Johnny Rockets, Italianis, Chilis, etc.), existe até um Aquário em que é possível nadar com golfinhos. Lá comprei tênis, camisetas, lembrancinhas, molho de pimenta e garrafinhas de bebidas. Saimos e fomos para o Plaza Kulkukan, um shopping bem bonito com várias lojas de grife, como por exemplo, Louis Vuitton, Fendi, Cartier, entre outros, adorei o shopping, mas nesse não fiz muitas compras. rsrsr

Fomos à Playa Delfines, um lugar muito bonito com uma vista espetacular. Lugar ideal para apreciar um Pôr do sol com o maridão e depois seguimos para o hotel onde jantamos e descansamos, pois o dia seguinte iríamos para o parque Xcaret, o ingresso foi comprado no Embarcadero e um ônibus nos buscaria no hotel as 9:00 am. Também é possível ir de carro ou ônibus, mas fique mais segura indo de excursão.

Xcaret
O dia começou quente e sem vento, o ônibus passou no hotel as 9:15 hs e, como toda excursão, fomos de hotel em hotel pegando o resto do grupo. Lá pelas 11:00 estávamos em Xcaret, lugar lindo, simplesmente D+. Logo que entramos passamos pela lojinha de souvenirs e vimos umas chocadeiras de ovinhos de codorna, em amo animais e adorei ver as codorninhas saindo dos ovinhos.
O ingresso do parque me dava direito a almoço, bebida (refrigerante, isotônico ou água), batata chips, toalha e equipamentos de mergulho (nadadeiras, snorkel e colete salva-vidas), mas estes você só pode pegar uma vez, se devolver não pode pegar de novo.
Pegamos o equipamento de snorkel, colete salva-vidas e nadadeiras pare entrarmos no rio artificial subterrâneo que percorre quase todo o parque. Fiz o trajeto todo, pois é muito gostoso, dá para ver alguns peixes, passa por lugares escuros e no caminho tem sempre algum fotografo do parque para depois te vender a foto (elas ficam expostas na saída).

Saímos do rio com fome, comemos umas batatas chips, tomei um sorvete e quase tomei uma piña colada sem álcool (me arrependi de não ter tomado, mas estava com pressa).

Piña colada:

Nado com golfinnhos:


Devolvemos os equipamentos, pois não queríamos ficar carregando por todo o parque,  e fomos direto para a praia do parque, lugar lindo. nadamos um pouco e presenciamos o momento em que soltavam os filhotinhos de tartaruga no mar, pois o parque desenvolve um projeto de proteção as tartarugas. Existem umas enormes dentro do parque!

Praia Xcaret:

Tartarugonas:


Pegamos bóias (grátis) e ficamos relaxando numa lagoa mais isolada até a chegada de uma excursão escolar, chegaram umas 50 crianças de escola pública (o parque oferece ingresso à crianças menos favorecidas, se não me engano 1 vez na semana) e como algumas ficaram sem bóias demos as nossas.

Fui ver o pessoal nadando com golfinhos e, para ser sincera, recomendo nadar com eles no próprio parque caso sua estadia em Cancún seja curta igual a minha (não achei que valeu tanto a pena ir para Isla Mujeres, apesar de ser lindo). O lugar é pequeno e não dá para ser empurrado pelos golfinhos tão onge quanto no Dolphin Discovery, mas você ganha beijos e abraços do mesmo jeito.

Almoçamos num restaurante mexicano, self-service, a comida não é lá essas coisa, pelo menos para mim que não sou tão fã de tacos e burritos, mas dá para o gasto. Depois fui conhecer o restante do parque, tem um borboletário e alguns lugares imitam ruínas mayas. Existem vários animais pelo parque, como algumas iguanas que andam soltas por lá.

Iguanas:

Não quis ficar para ver o show e quase entrei no parque Xplor, que pertence ao mesmo grupo do Xcaret, mas como alguns turistas do meu grupo falaram que era muito "fraquinho" (não tem tantas atrações) pelo preço, dizem que é mais para aqueles que amam esportes e aventura, então eu preferi deixar para uma próxima.

O ônibus que leva e traz ao parque é todo decorado:


O Xplor possui cavernas, trilhas para fazer a pé ou de jipe, rio para rafting e uma enorme tirolesa de 3 km que passa por uma cachoeira. Existem também estalactites e estalagmites. O preço, como de costume, é um pouco salgado 99 dólares. Ele fica bem perto do Xcartet, dá para fazer os dois parques no mesmo dia. Todos os funcionários se vestem com exploradores de cavernas e, pelos cometários que li, são muito gentis. Me falaram que o passeio de buggy é bem legal (dura me média 35 minutos). O buffet é incluso no preço e eles não servem refrigerante, somente água e suco natural, o objetivo do parque é ser mais rústico e natural.
Devido às informações que tive sobre o Xplor, acho que o Xcaret vale muito mais a pena. Agora se você tiver tempo e dinheiro vá aos dois para não ficar com vontade rsrs.

Voltamos para o hotel e as 19:00 hs fomos para o shopping La Isla novamente, fizemos nossas últimas compras e voltamos, comemos no restaurante italiano do hotel, mas devo confessar que preferi o japonês.

No último dia, acordamos cedo e depois do café ficamos na praia do hotel. Almoçamos e fomos de táxi para o aeroporto. Voamos de Mexicana, adorei, mas agora ela não faz mais esse trecho devido à problemas financeiros. Fim dessa maravilhosa viagem. 

No próximo post falarei sobre roubadas e darei dicas sobre a cidade.

Até mais!!


De volta à ativa!

Essa semana volto com algumas dicas de viagem:
Oeste Americano (Califórnia, Nevada e Arizona), Miami, Orlando, NY, Paris, Rio de Janeiro, Natal, Foz do Iguaçu e Angra.

Bjs e até mais